O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, vai a Port-au-Prince «assim que for possível», segundo disse o próprio, ao declarar o sismo de terça-feira «uma tragédia para o Haiti e para as Nações Unidas».

O secretário-geral, que falava na sede da ONU em Nova Iorque, disse que poderá haver centenas de mortos e evocou o desaparecimento do chefe da missão da ONU no Haiti e do seu adjunto.

A ONU já confirmou que pelo menos cinco pessoas morreram na derrocada da sede da sua missão em Port-au-Prince.

Diário Digital / Lusa