Lisboa: Mulher de 32 anos ficou coma cabeça partida pelo marido e teve arma apontada ao corpo
Bate e ameaça com pistola


A discussão entre o casal estalou já depois das 22h00, com uma acesa troca de insultos, que se estendeu aos vizinhos da rua Norberto Lopes, na Ameixoeira, Lisboa.

Mas nem a cabeça partida da mulher de 32 anos, a soco, travou no domingo à noite a fúria do marido violento – que foi buscar uma pistola ao quarto e ainda a encostou ao corpo da vítima, prostrada no chão da sala a esvair-se em sangue. O agressor foi detido pela PSP na mesma noite, após perseguição policial, mas depois de presente a um juiz foi colocado em liberdade.

Um dos vizinhos, ao aperceber-se da violência que se passava naquela casa, chamou a Polícia. E os agentes, quando chegaram ao local, depararam-se com a vítima já no exterior da casa. Acabara de se libertar do marido. Em pânico, a mulher disse aos agentes da PSP que o agressor, de 45 anos, ainda se encontrava no interior da residência. Quando os polícias irromperam pela casa, o homem saiu pela janela e entrou no carro, pronto a sair do bairro.

Pelo meio, ainda largou a arma junto a um arbusto e continuou a marcha, mas acabou detido a cerca de 200 metros da casa. A vítima foi levada ao Hospital de Santa Maria para receber tratamento, e teve alta na manhã de segunda-feira, quase em simultâneo ao momento em que o agressor ficou sujeito a apresentações semanais numa esquadra da PSP.

PORMENORES

SANGUE NA CABEÇA

Foram poucos os vizinhos que ontem aceitaram falar sobre o caso, confirmando apenas que a vítima estava muito ferida. "Tinha muito sangue na cabeça", disse um morador.

PAIS NÃO ESTAVAM

Ao que o CM apurou, o casal vive com os pais do agressor, já idosos. No momento da violenta agressão, domingo à noite, não se encontravam em casa.

DESEMPREGADOS

Os moradores da rua Norberto Lopes não conhecem quer ao agressor quer à vítima qualquer ocupação profissional, estando desempregados.


Fonte Correio da Manhã