Gondomar: Suspeitos colocaram-se em fuga ao ver a patrulha aproximar-se
Militar da GNR abate fugitivo


O carro com três homens, estacionado em frente a um estabelecimento comercial em Montezelo, Gondomar, despertou ontem a atenção de uma patrulha da GNR do Porto. Mas mal os militares se aproximaram, o grupo colocou-se em fuga. Percorreram mais de quatro quilómetros em fuga, mas à entrada do IC29 sofreram um acidente. Segundo a GNR, o grupo terá começado a disparar contra a patrulha. Em defesa, os militares ripostaram, tendo atingido mortalmente um dos suspeitos.

Um outro elemento, Nuno Silva, acabou por ficar ferido no acidente de carro e um terceiro fugiu e não foi ainda apanhado. Os suspeitos, residentes em Vila Nova de Gaia, têm antecedentes criminais.

A PJ está a investigar o caso e já identificou o militar autor do disparo. No entanto, ontem não tinha sido ainda encontrada a arma que a GNR diz ter sido utilizada pelos assaltantes. Também os invólucros dessas munições estavam por descobrir.

A madrugada de ontem foi bastante agitada em Fânzeres, Gondomar. Em poucas horas a GNR registou cinco assaltos. Sem mãos a medir, o posto decidiu pedir ajuda ao Comando do Porto, que imediatamente enviou uma patrulha de quatro militares do Departamento de Intervenção para o local.

Durante horas os guardas percorreram as ruas da cidade em busca dos suspeitos, até que por volta das 04h00 detectaram o carro estacionado em frente a um estabelecimento comercial. Mas o assalto nunca chegou a passar de uma suspeita. Ao aproximar-se o grupo fugiu e a GNR iniciou uma perseguição pela Estrada Dom Miguel, que apenas terminou com a morte de um dos elementos do grupo.

Ontem de manhã as autoridades estiveram na casa do ferido Nuno Silva, em São Félix da Marinha, de forma a verificar se o terceiro elemento estaria lá escondido, e se havia provas do envolvimento do grupo em assaltos.

SEGUNDO CASO EM APENAS DOIS MESES E MEIO

Em apenas dois meses e meio, este é o segundo caso de um militar da GNR que, em serviço, mata um suspeito. Em 28 de Outubro do ano passado, em Famalicão, um militar do Núcleo da Investigação Criminal de Barcelos , matou a tiro um traficante de droga. A vítima, Avelino Ferreira, de 58 anos, que tinha saído da prisão há menos de um ano, foi surpreendido a vender heroína e cocaína. Ao tentar escapar à polícia, o homem abalroou ainda dois elementos da GNR.

O GNR autor do disparo continua ao serviço enquanto decorre o inquérito interno instaurado pela IGAI, não tendo no entanto sido constituído arguido pela PJ.

Já em 2006, também Pedro Carvalho, da GNR de Matosinhos, matou um suspeito. Foi a julgamento e no ano passado a juíza decidiu absolvê-lo do crime.

TRÊS SUSPEITOS TENTARAM FUGIR A PÉ DO LOCAL

O carro em que os três suspeitos seguiam acabou por se despistar à entrada do IC29, em Gondomar. Após o acidente, no qual um dos elementos ficou ferido, os membros do grupo tentaram fugir a pé. A GNR continuou no entanto a persegui-los e, segundo a versão apresentada pelos mesmos, foi nesta altura que os suspeitos começaram a disparar. Um dos homens do grupo acabou por conseguir escapar.

O local do acidente é relativamente perto de vários postos da GNR. Ainda durante a perseguição, patrulhas de Lever e Fânzeres foram accionadas para o local.

PORMENORES

VIVE COM COMPANHEIRA

O ferido, Nuno Miguel Silva, vive em São Félix da Marinha com a companheira. O casal reside há pouco tempo no local e poucos são os vizinhos com quem contactam.

MEIOS NO LOCAL

Durante a perseguição, acorreram ao local patrulhas da GNR de Lever, Fânzeres e do Núcleo de Investigação Criminal.

MORADORES

Em Montezelo, onde o grupo foi abordado, os moradores não deram conta de nada.


Fonte Correio da Manhã