Porto: Homem detido pela PJ está em prisão preventiva
Menor em fuga violada


Joana’ (nome fictício) fugiu do Centro de Internamento de Jovens em Chaves para voltar ao bairro do Cerco, no Porto, onde nasceu há 15 anos. Escondeu-se numa casa desabitada e ali ficou até ser violada por um jovem do mesmo bairro, que conhecia desde a infância. O violador foi detido pela Polícia Judiciária do Porto, quarta-feira, e, após ser presente a um juiz para primeiro interrogatório judicial, foi-lhe fixada a medida de coacção mais grave: vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

Na madrugada de 25 de Novembro do ano passado, a menor foi surpreendida pelo agressor, de 20 anos, enquanto dormia. Mal a menor abriu os olhos, pressentindo a presença de alguém, o violador já a tinha imobilizado à força. Amedrontada, não teve tempo de reagir, apesar de Joana ainda ter tentado libertar-se com todas as suas forças. Mas foi em vão. O horror durou alguns minutos e o agressor esteve sempre de rosto descoberto.

Joana foi brutalmente violada e abandonada no chão, frio, da casa onde se tinha refugiado desde o dia em que fugiu do Centro de Internamento de Jovens, em Chaves, algumas semanas antes. Estava lá por decisão do Tribunal de Menores, após ter sido retirada aos pais.

Maltratada e muito assustada, a menor ainda teve forças para se deslocar a uma esquadra da PSP, onde apresentou queixa. Aos agentes nunca vacilou em apontar taxativamente o no-me do agressor, já que ele a violou de cara destapada.

Nessa madrugada, a vítima foi de imediato transportada para o hospital, onde foi sujeita a exames médicos. Os resultados foram inequívocos: Joana tinha vestígios de esperma do agressor. As marcas no corpo, fruto da violência que ele usou para a imobilizar, reforçam a agressão e permitiram a detenção do violador por parte da Polícia Judiciária.

O agressor, residente no bairro do Cerco, está desempregado e tem antecedentes criminais por diversos furtos. Joana foi entretanto levada para a instituição de onde tinha fugido.

PORMENORES

INSTITUCIONALIZADA

A vítima, de 15 anos, estava desde há alguns meses a viver num centro de internamento de jovens, por decisão do Tribunal de Menores, que retirou a custódia da rapariga aos seus pais.

À BOLEIA

A jovem fugiu da instituição onde se encontrava, na zona de Chaves, algumas semanas antes de ter sido violada. Conseguiu voltar para o Porto, pedindo boleia a automobilistas.

CASA DEVOLUTA

A menor refugiou-se numa casa abandonada, no bairro do Cerco, no qual viveu a sua infância. O violador soube do seu paradeiro e, na madrugada de 25 de Novembro, surpreendeu-a enquanto dormia.

SUJEITA A EXAMES

À PSP, a vítima disse saber a identidade do violador, que conhecia desde a infância por viver no mesmo bairro. Os resultados a que foi sujeita, no hospital, foram inequívocos, e o agressor ficou em prisão preventiva.

C.M.