Euromilhões: Julgamento do caso dos euromilionários desavindos
“Luís preenchia a chave na hora” (COM VÍDEO)


O dono da Casa Brandão, em Alvelos, Barcelos, onde há três anos foi registado o boletim vencedor do euromilhões de um casal de namorados que se zangou por causa do prémio de 15 milhões de euros, entretanto congelado, disse ontem em Tribunal que o boletim foi registado por Luís Carlos Ribeiro e que "ele preenchia sempre a chave na hora".

O comerciante explicou que Luís tinha o mesmo procedimento todas as semanas: agarrava num boletim, bebia um café e preenchia-o, aparentemente de forma aleatória. Um depoimento que coloca em causa os argumentos da Defesa de Cristina Simões, que alega que a chave vencedora tinha sido previamente definida por ela. Na sessão de ontem, José Nuno Serra, primo de Cristina, disse ter ouvido a antiga patroa de Luís dizer que o então empregado assumira que o euromilhões tinha saído à namorada. A dona da casa de ferragens onde Luís Ribeiro trabalhava também foi arrolada como testemunha, mas não compareceu em tribunal.

No dia 5 de Fevereiro, vão depor elementos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e da Caixa de Crédito Agrícola, e os pais de Cristina, que são os réus do caso.

Vídeo Sapo



Fonte Correio da Manhã