O caso teve lugar em Mérida, quando David Cerjo García acedeu ao computador pessoal de um advogado local, irmão de um autarca da cidade espanhola, e roubou algumas fotografias privadas.
Estas imagens foram posteriormente divulgadas na Internet com o intuito de afectar a imagem dos visados.
Nessas imagens apareciam não só o advogado, mas também diversas figuras públicas da localidade, incluindo uma vereadora e uma apresentadora de televisão.
De acordo com informação avançada pelo El País, o tribunal considerou David Cerjo García culpado dos crimes de descoberta e revelação de material secreto.
Além da pena de prisão de oito anos, o informático terá de pagar cerca de 320 mil euros de indemnização às vítimas.
Para o tribunal as vítimas foram pessoas «com uma certa relevância social na localidade e muito conhecidas, que tiveram um grave sofrimento moral e sofreram consequências nefastas para a sua vida pessoal, familiar e profissional».


Sol