O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Guido Westerwelle, viajou esta semana oficialmente à China e Japão acompanhado pelo seu companheiro sentimental, Michael «Micky» Mronz, que apresentou aos principais líderes de ambos países.
Homossexual declarado, Westerwelle realizou pela primeira vez uma visita oficial com o seu companheiro sentimental, um empresário desportivo de 42 anos, com quem partilha um apartamento em Berlim, informa hoje o jornal Bild am Sonntag.

Ante a curiosidade dos seus anfitriões orientais, Micky Mronz teve ocasião de saudar pessoalmente o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, e o chefe da diplomacia nipónica, Katsuya Okada, entre outras autoridades.

O jornal destaca que tanto na China como no Japão a presença do companheiro sentimental de Westerwelle despertou uma grande curiosidade, já que, embora em ambos os países a homossexualidade não seja perseguida, também não é vista com bons olhos pelas autoridades.

«Fui muito bem recebido em todo o lado», declarou Mronz ao Bild am Sonntag, comentando que pode «comprovar claramente o elevado prestígio de que Alemanha goza no estrangeiro. Foi impressionante».

Guido Westerwelle, de 48 anos, também é presidente do Partido Liberal Alemão(FDP) e vice-chanceler no governo da chanceler federal, Angela Merkel.

Na Alemanha também tornaram pública a sua homossexualidade outros políticos destacados, como o presidente da câmara-governador de Berlim, o social democrata Klaus Wowereit, e o seu colega na cidade-estado de Hamburgo, o cristão democrata Ole von Beust.

Diário Digital / Lusa