Serpa: Família não consegue comprador para tampinhas
Ricardo pede apoio solidário


Quando há um ano amigos e familiares de Ricardo Ramos, jovem de 25 anos que nasceu com uma grave deficiência motora, iniciaram uma campanha solidária de recolha de tampinhas, mal sabiam que iriam passar por uma enorme desilusão. A ideia era trocar as tampas por uma cadeira de rodas, no âmbito do ‘Projecto Tampinhas’, iniciativa que já terminou.

"Temos a casa cheia de tampas, mas não as querem porque não residimos na zona das empresas de reciclagem [Lisboa e Algarve]", refere a mãe Maria Rosa, que mora com o filho num monte em Serpa. O pai, Manuel Ramos, é trabalhador agrícola e o único sustento da casa.

Sem cartazes nem blogues, a campanha tem sido feita de porta em porta, com o objectivo de adquirir uma cadeira resistente, com apoio para a cabeça e para um computador prometido pelo Centro de Paralisia Cerebral de Beja. "A Segurança Social entrega cadeiras, mas ele tem força e parte-as. O pai é que as solda e faz adaptações" refere a amiga Susana Barão.

Contactado pelo CM, Pinto Rodrigues, da empresa Valnor, gestora dos resíduos sólidos de Portalegre, prontificou-se a apoiar o Ricardo. "Estamos sempre disponíveis para ajudar as causas sociais", disse.

APONTAMENTOS

CAMPANHA

A campanha por Ricardo continua activa. Ontem, recebeu dezenas de garrafões cheios de tampas. Os contactos da família e amigos são: 967 649 723 e 963 041 274.

PAIXÕES

Ricardo não fala nem come sem auxíliodevido à deficiência motora de 95 por cento. Mas esboça sempre um rasgado sorriso quando se fala do Benfica ou de touradas. "São as paixões."

EXTINTO

O ‘Projecto Tampinhas’, desenvolvido pela Associação Tampa Amiga, recolhia as tampas eenviava-as para empresas de reciclagem. Obtinha verba para as cadeiras.


Fonte Correio da Manhã