Uma orca atacou e matou a sua tratadora no parque temático SeaWorld, na Florida. Dawn Brancheau, de 40 anos, estava a informar os visitantes acerca do animal, junto ao tanque, quando a orca a agarrou pelo tronco e a levou para dentro de água, tendo-a despedaçado com os dentes.

Segundos depois do incidente, testemunhado pelo grupo de visitantes, as sirenes do Sea World foram activadas e os funcionários do parque mandaram selar o perímetro em volta do tanque, indicou uma das espectadoras que assistiu ao ataque.

Dawn Brancheau era uma das tratadoras mais experientes daquele parque temático, segundo o director do complexo, Dan Brown. “Nunca, em toda a história dos nossos parques, tivemos um incidente desta natureza”, disse o responsável aos repórteres.

“Nada é mais importante para nós que a segurança dos nossos funcionários, visitantes e animais. Oferecemos os nossos mais sinceros pêsames à família e aos amigos da treinadora e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para os assistir nestes tempos difíceis”, indicou ainda Brown à imprensa.

Brancheau, que era funcionária do parque desde 1994, soube que queria ser tratadora quando visitou o parque, aos nove anos, indicou a própria numa entrevista ao “Orlando Sentinel”, em 2006.

Tilikum já tinha duas mortes no currículo

Depois do grave incidente de ontem soube-se que a orca, de nome Tilikum e com perto de 5,5 toneladas, já tinha morto o seu tratador quando estava no Canadá.

O porta-voz do SeaWorld, Fred Jacobs, indicou que Tilikum foi uma das três baleias assassinas responsáveis pela morte de um tratador em 1991 no parque Sealand of the Pacific, em Victoria (British Columbia).

O corpo de um homem foi igualmente encontrado junto a Tilikum já no SeaWorld de Orlando, em Julho de 1999. O homem, Daniel Dukes, terá ludibriado os seguranças e ter-se-á infiltrado no tanque. Não se sabe se caiu, se saltou ou se foi puxado por Tilikum. Sabe-se, sim, que Dukes acabou por ser retirado da água com marcas de ataque, embora a causa da morte se tenha devido à hipotermia, devido à baixa temperatura da água.

A especialista em orcas Nancy Black indicou ao canal de televisão WKMG que o ataque pode ter resultado de um jogo, uma espécie de brincadeira que o animal estava a jogar na sua cabeça. “São criaturas muito inteligentes. Têm emoções e sentimentos. Poderia estar infeliz, ou aborrecida”.

Animais selvagens

Os ataques de animais selvagens a tratadores e a biólogos são relativamente comuns, embora nem todos terminem de maneira drástica.

Em 2003, o mágico germano-americano Roy Horn - da dupla Siegfried & Roy, conhecida em todo o mundo pelos seus números arriscados com tigres - foi atacado por um dos seus tigres em plena actuação, em Las Vegas.

O animal, um macho com sete anos, agarrou em Roy pelo pescoço e arrastou-o para fora do palco durante um espectáculo no casino Mirage. O mágico ficou gravemente ferido mas conseguiu sobreviver, tendo realizado um espectáculo de beneficência - com o mesmo tigre que o atacou - em Fevereiro do ano passado.

Em Setembro de 2006, o apresentador de televisão australiano Steve Irwin - que ganhou o cognome de “caçador de crocodilos” - foi atacado por uma raia, acabando por morrer.

Irwin, conhecido no mundo inteiro pelos seus programas dedicados à vida selvagem, acabou por não resistir aos ferimentos provocados pelo ataque da raia, que lhe espetou o aguilhão junto ao coração, ao largo da Austrália, enquanto este filmava um documentário sobre a vida marinha.
publico