O ministro dos Negócios Estrangeiros italiano, Franco Frattini, disse esta sexta-feira que o seu compatriota morto num ataque em Cabul era «conselheiro diplomático» de Silvio Berlusconi.
Era «um conselheiro diplomático da Presidência do Conselho, que estava no hotel» Residence Park, alvo do ataque, indicou Frattini em entrevista à Sky-News.

«Ele trabalhava na embaixada de Itália no Afeganistão», acrescentou.

Pelo menos 16 pessoas, sendo quatro indianos, um francês, um italiano, além de polícias e civis afegãos, foram mortos esta sexta-feira num ataque coordenado de terroristas suicidas talibãs que tinham como alvo hotéis ocupados por estrangeiros em pleno centro de Cabul.

De acordo com o chefe da Polícia de Cabul, general Abdul Rahman Rahman, esse italiano deu informações para os polícias por telefone sobre a posição dos terroristas quando foi morto por um deles. «Foi um homem corajoso e passou preciosas informações graças às quais a Polícia conseguiu evacuar sãos e salvos quatro outros italianos», explicou o chefe de polícia.


dd.