Airsoft é um jogo onde os jogadores participam em simulações policiais ou militares de combate com réplicas de armas de fogo e tácticas militares. As réplicas estão à escala de 1:1 (ou às vezes 'mini' ou '3/4'), podem ser de metal e/ou plástico e disparam projecteis de 6 ou 8 mm que pesam entre 110-600 miligramas (conhecidas como BB's). A propulsão da arma pode ser através de molas (springers), mecanismos eléctricos ou gás comprimido incluíndo gás propano (ou green gas, que é propano adicionado com óleo lubrificante, como o silicone por exemplo), cápsulas de CO2, ar ou gás refrigerante HFC134a.

O jogo é bastante popular em vários países asiáticos, como o Japão, China(incluíndo Hong Kong, Taiwan e Macau), Coreia do Sul e Filipinas, onde armas reais são dificeis de obter devido a leis locais. Devido a isto, a maior parte das armas de Airsoft e acessórios são fabricados nestes países. Apesar de rumores de que o airsoft seria ilegal na China, é na verdade legal e bastante popular, tanto no continente, como em Hong Kong e Macau. De notar que o espírito de honra e honestidade é um dos pilares onde se fundamenta a prática do airsoft. Salienta-se igualmente que nada tem a ver com actividades políticas, religiosas ou quaisquer outras que não sejam o desafio, a actividade física, o convívio e o culto da amizade e entre-ajuda entre os seus praticantes.

Actualmente existe um crescente interesse no Ocidente, especialmente nos Estados Unidos da América, Canadá, Reino Unido, Alemanha, Suiça, França, Espanha, Portugal, Finlândia, Itála, Bélgica (onde os jogadores holandeses vão, visto que na Holanda é proibido) e Dinamarca, baseado numa comunidade activa e expansiva na Internet.

Em Portugal começou a praticar-se já a algum tempo embora só a pouco tempo é que é possivel comprar armas legalmente estando desde logo agregado a Federação Portuguesa de Airsoft.



Um pouco de História...

O airsoft surge no Japão por volta dos anos 80, onde a população, proibida de possuir armas de fogo, procura replicas de boa qualidade para fins de colecção. Cedo os fabricantes puseram-nas a disparar pequenos projecteis (BB's com 6mm diametro em PVC), operadas a gás e a mola. Esta inovação permitiu que surgissem pequenas partidas entre os possuidores destes artefactos, assim como, desafios de tiro de precisão.

Entretanto surge na legislação japonesa a proibição do uso desses gases como inimigos do ambiente. Os gases que entretanto são permitidos tornam-se caros. Tudo isto se passa nos anos compreendidos entre 1993 e 1997, altura em surge a primeira AEG (Automatic Electric Gun).

As AEG's também réplicas de Airsoft, são concebidas para funcionar com um mecanismo electromecânico, para não serem muito potentes. Quase todos os jogos são realizados, nesta altura, em espaços urbanos, pois no Japão espaço é coisa que existe pouco.

Entretanto, a combinação de realismo, segurança, flexibilidade e baixo custo tornam o Airsoft apelativo ao cidadão comum que gosta de praticar a sua coordenação mão/olho sem os riscos inerentes ao tiro desportivo com armas reais.

Hoje, o Airsoft, popular nos paises asiáticos, está a ganhar popularidade, através do coleccionismo e dos jogos de guerra (o impacto causado pelos projecteis das AEG's é inferior, onde o aumento de realismo favorece cada vez mais o aparecimento de ''convertidos'' do Paintball), entre a população da União Europeia e USA, onde este fenómeno ocorre em franca expansão.