Aveiro: Mulher de 41 anos foi arrastada por mais de cem metros
Atropelamento fatal

Andava na rua à procura do marido quando foi atropelada por um automóvel, que a arrastou mais de cem metros. Maria Matilde Simões, de 41 anos, teve morte imediata, anteontem à noite, em Mamodeiro, Aveiro, lugar onde residia há mais de dez anos. As causas do acidente ainda estão por esclarecer, sabendo-se apenas que a vítima caminhava no mesmo sentido do carro. Ao final do dia de ontem, Alípio Fernandes, seu companheiro, continuava desaparecido.

Maria Matilde tinha saído do café Sporting, no centro da localidade, vinte minutos antes do acidente. Procurava um táxi para ir em busca do marido. Como não terá conseguido, voltou a casa. Pelo caminho foi varrida por um Volkswagen Pólo, conduzido por um homem com cerca de 60 anos, que se manteve no sítio do atropelamento e esperou pelas autoridades. " O vidro da frente ficou partido e viam-se bem as marcas no capô e no tejadilho do carro", contou, ao CM, um popular que chegou ao local pouco depois.

A vítima e o marido são conhecidos na localidade pelos problemas que terão com o álcool. "Vivem na miséria, sem condições nenhumas, não trabalham e o pouco dinheiro que têm gastam-no em álcool", disse a vizinha Laurinda Ferrão. Quando o CM chegou à barraca que servia de casa a Maria Matilde e Alípio Fernandes, a porta encontrava-se aberta mas não havia sinal do homem. "Ele saiu de casa na madrugada de domingo, às 04h00, e não voltou. Por isso é que ela andava desesperada à procura dele", esclareceu a mesma vizinha.

O corpo da vítima foi levado para o Gabinete de Medicina Legal de Aveiro, onde será autopsiado.


Correio da Manha