Refere que Portugal e Espanha são prejudicados pelos poderosos
Lula critica Alemanha e sistema global de governação

Lula da Silva, presidente do Brasil, num seminário sobre economia brasileira, em Madrid falou sobre o atraso da Alemanha na ajuda à Grécia e nas consequências desse atraso.

O presidente do Brasil questionou a demora da Alemanha e dos restantes países europeus, afirmando que esse atraso “levou ao pânico” e ao alastramento a outros países. “Só porque os países perderam o poder de fazer política monetária e dependem da decisão colectiva, que de colectiva não tem nada porque, ao fim ao cabo, quem tem mais dinheiro é que toma a decisão”, referiu o líder brasileiro.



Criticou o facto dos países que originaram a crise, actualmente fazerem de “conta que não é nada com eles”, lembrando que os países ibéricos pela sua dimensão acabam por ser prejudicados, “países como Espanha e Portugal sofrem mais porque são menores, numa Europa de outros poderosos, mas fragilizada pela falta de seu controlo do sistema financeiro”, pronunciou.



No final das jornadas 'Brasil: Aliança para a nova economia global', Lula admitiu discordar do sistema de governação global, “a governação global de hoje representa o mundo político de 1945, mas não o mundo político de 2010. É preciso mudar (...) não é possível numa crise económica como esta não ter uma instância multilateral que liderasse o debate. O G20 funcionou no primeiro momento, mas o poder de decisão do G20 é muito escasso. As pessoas não cumprem. Cada um vota pelo seu país e as pessoas não cumprem”, declarou o presidente brasileiro.



Lula reclama para o Brasil um papel no sistema de governação, por considerar que brevemente o país será “a quinta economia” do mundo.


Correio da Manha