Instituição já esteve envolvida em escândalos no passado
Banco do Vaticano suspeito de lavagem de dinheiro

O Banco do Vaticano está a ser investigado por alegado envolvimento em esquemas de lavagem de dinheiro, tal como outros dez bancos italianos.

A notícia avançada esta terça-feira pelo jornal La 'Repubblica' refere que as entidades investigadas são o Instituto das Obras Religiosas (IOR), nome pelo qual é vulgarmente conhecido o banco oficial do Vaticano, e dez bancos italianos, entre eles estão um grupo bancário com liderança no mercado italiano, Intesa Sanpaolo, e a Unicredit, um dos maiores conglomerados bancários da Europa.

Os investigadores suspeitam que as pessoas com residência fiscal em Itália, usam o IOR para esconder crimes como fraude e evasão fiscal. Foram descobertas transacções em dois anos, no valor de 180 milhões de euros, numa das contas a cargo da IOR.

O IOR, responsável pelas contas bancárias das ordens religiosas e associações católicas, já esteve o seu nome envolvido em escândalos anteriormente, por ligações à máfia e ao terrorismo político.


Correio da Manha