Sintra: Homenagem à Força Aérea
“Nunca nos deixaram”

"Nunca nos podemos esquecer daqueles que não nos abandonaram e arriscaram a vida para nos salvar". Foi desta forma que José Arruda, presidente da Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA), resumiu a gratidão pelo empenho da Força Aérea para com os ex-combatentes do Ultramar, nomeadamente dos serviços de evacuação de emergência.

As declarações foram proferidas numa cerimónia que decorreu ontem de manhã na Base Aérea Nº1, em Sintra. Estiveram presentes vários ex-combatentes, incluindo o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA), o general Luís Araújo, que se mostrou "grato e emocionado com a homenagem".

No encontro também foi dada a conhecer a diferença de panorama nos recursos humanos e materiais da Força Aérea, de 1975 para a actualidade. Quanto ao número de militares, diminuiu 50% – em 1975 havia 8464, face aos 4232 que apresenta actualmente. E ao nível dos recursos materiais a diferença é ainda maior, principalmente no que diz respeito ao números de aeronaves – em 1975 havia 311 aparelhos e agora a Força Aérea conta apenas com 140 aeronaves.


Correio da Manha