Efectivos do exército e da polícia sul-africano estão desde quarta-feira a patrulhar vários bairros em redor de Joanesburgo, onde no passado ocorreram ataques xenófobos, para prevenir uma nova onda de violência.

Um dos bairros que está a ser vigiado pelas forças de segurança é o de Ramaphosa, nas imediações de Boksburg, a leste de Joanesburgo, onde há dois anos a morte de um imigrante moçambicano, queimado vivo por sul-africanos, fez as manchetes da imprensa local e internacional.

A polícia recebeu vários pedidos de proteção de centenas de estrangeiros e muitos, sobretudo oriundos do Zimbabué, sairam da África do Sul nos últimos dias, devido a rumores de uma vaga de ataques contra imigrantes de várias nacionalidades logo depois da final do Mundial 2010, no domingo.

Diário Digital / Lusa