Almeirim: Homicida condenado a nove anos de prisão
Morto à pedrada por roubar gado

O Tribunal de Almeirim condenou ontem a nove anos de prisão um homem, de 45 anos, por ter matado outro com uma pedrada na cabeça por causa do roubo de dois cabritos e dois borregos. A vítima esteve 15 dias hospitalizada, em coma, e acabou por falecer.

Os factos remontam a 20 de Abril de 2009. O agressor, Júlio Castelo, encontrou a vítima, João Serralheiro, no café Canto Negro, em Fazendas de Almeirim, e foi-lhe pedir satisfações por causa de quatro animais roubados ao seu pai. Antes de entrar, e conhecendo o temperamento agressivo do opositor, Júlio Castelo muniu-se de uma pedra da calçada que encontrou no passeio.

No café, e depois de uma azeda troca de palavras, os homens envolveram-se em agressões e, nessa altura, o arguido atingiu a vítima com a pedra na cabeça. Mesmo com um golpe profundo, João Serralheiro correu 150 metros com uma marreta atrás de Júlio, mas não o conseguiu atingir. Depois voltou ao café e pediu para chamarem uma ambulância.

João Serralheiro tinha 48 anos e deixou seis filhos, três deles menores. A família vai receber uma indemnização de 97 500 euros.

INCENDIARAM MOTA AO PAI POR VINGANÇA

Após a briga, e temendo a reacção dos familiares de João Serralheiro, Júlio Castelo, que residia com os pais em Fazendas de Almeirim, trancou-se em casa até à chegada da GNR. Depois de a patrulha o levar para o posto de Almeirim, desconhecidos atearam fogo à motorizada do seu pai. A GNR não tem dúvidas de que se tratou de um acto de vingança, mas ainda não conseguiu identificar os autores do crime.

Na vila, Júlio Castelo é visto como um homem solitário e pacífico, ao contrário de João Serralheiro, descrito por um morador como "provocador e brigão".


Correio da Manhã