Tondela: Catequista abateu-a quando regressava das compras
Madrasta temia ser assassinada

Odete Ferraz, a mulher de 57 anos morta a tiro de caçadeira pelo enteado, na terça-feira, em Póvoa de Baixo, Tondela, já temia que algo de mal lhe pudesse acontecer. Nas conversas com as pessoas mais próximas, nos últimos tempos, lamentava-se com frequência da postura agressi-va de Paulo Ferraz.

"Às vezes queixava-se de que o rapaz lhe mandava umas bocas e ameaçava matá-la", contou ontem ao CM o proprietário do café Ka te Quero, onde a professora reformada se costumava reunir com as amigas.

Segundo Carlos Costa, Odete Ferraz chegou a ter de sair de casa umas semanas, devido às ameaças do enteado. Foi o marido, Fernando Ferraz Martins, 68 anos, que acalmou o filho e a convenceu a voltar.

Na terça-feira, Paulo, 37 anos, um pacato escriturário e catequista, matou os dois a tiro. Fernando regressava a casa depois de uma ida à Câmara de Tondela, para assinar as actas da Assembleia Municipal, onde era secretário. E Odete regressava das compras. O homicida é ouvido hoje no Tribunal de Tondela, no mesmo dia em que se realizam os funerais, às 16h00, em Adiça, freguesia de Mouraz. A autarquia dá tolerância de ponto aos funcionários.


Correio da Manhã