O Comissão Federal do Comércio (em inglês FTC - Federal Trade Commission) arquivou o processo de investigação contra a Google, na sequência das medidas colocadas recentemente no terreno pela empresa e agora consideradas pelo organismo como suficientes para dar resposta às suas principais preocupações.

A Google anunciou na semana passada uma série de alterações às suas políticas de privacidade, nomeadamente no que se refere à recolha de imagens para o polémico Google Street View que, um pouco por todo o mundo, tem gerado controvérsia e alguns dissabores à empresa de Internet.

O serviço tornou-se ainda mais polémico quando se soube que durante as recolhas de imagens pelas ruas que garantem a matéria-prima do serviço online, a Google recolhia também dados das redes WiFi privadas, não encriptadas, a que ia tendo acesso.

A privacidade dos cidadãos retratados nas imagens recolhidas para o serviço e a recolha de dados relativos aos serviços de dados privados motivaram a abertura do processo de investigação conduzido pela FTC.

O organismo indica agora numa carta aos advogados da empresa estar satisfeito com as alterações introduzidas, admitindo que as mudanças anunciadas traduzem melhorias nos processos internos da companhia capazes de responder a algumas das preocupações. A FTC reconhece também como positivo o facto da Google ter assumido o compromisso de eliminar os dados recolhidos tão rapidamente quanto possível e garantido que não fará uso dos dados recolhidos em nenhum dos seus produtos ou serviços.

A resolução deste caso está, contudo, longe de afastar o Street View de polémicas. Nos Estados Unidos mais de três dezenas de Estados continuam a investigar a Google e pela Europa há diversos casos por resolver.

Hoje é notícia uma nova investigação em Itália, desta vez liderada pelas autoridades de Roma, que dão continuidade a um processo iniciado pelo regulador italiano das questões ligadas à privacidade.

sapo.pt
_______