A questão indígena esteve longe da prioridade da campanha presidencial dos dois principais candidatos nas eleições de 31 de dezembro, disse à Lusa a liderança desta minoria, que pede mais participação das comunidades e aldeias na política brasileira.


«Os povos indígenas estão ainda muito tímidos no sentido de discutir política e governação», analisa Marcos Apurinã, representante da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazónia Brasileira (Coiab).

Diário Digital / Lusa