Operadores turísticos da zona da Serra da Estrela garantiram hoje, sábado, à Lusa que estão prontos para a nova época de inverno e, apesar da actual crise económica, mostram-se "optimistas" em relação à procura daquele destino turístico.

"[A crise] Poderá ter algum tipo de impacto, mas estamos mais optimistas do que pessimistas", disse hoje à Lusa Ricardo Abreu, director de vendas e marketing da Turistrela, empresa concessionária do turismo na Serra da Estrela, que possui dois hotéis (Serra da Estrela e Carqueijais), 30 chalés de montanha e explora a estância de esqui, na Torre.

Segundo o responsável, a empresa disponibiliza um total de 400 camas e aposta na qualidade da oferta e dos equipamentos, sendo a última novidade um SPA, no Hotel Serra da Estrela, localizado a 1 550 metros de altitude.

Ricardo Abreu contou que a procura dos equipamentos hoteleiros já começou, salientando, a título de exemplo, que "para o fim de ano" os chalés encontram-se "esgotados".

Para atrair cada vez mais visitantes para a região, a Turistrela aposta num "dinamismo constante", criando novas propostas de recreio e lazer.

"Este ano temos 32 'experiências', desde aulas de esqui, a passeios pedestres e de jipe. Temos um conjunto de programas com diversos preços para dar a oportunidade a todas as pessoas que queiram visitar a Serra da Estrela", explicou.

Ricardo Abreu observou que a oferta aumenta de ano para ano, indicando que no inverno anterior "foram disponibilizadas 28 'experiências' e "este ano temos 32".

O ensino de desportos de inverno às crianças é também para continuar este ano, lembrando que, na última temporada, foram acolhidas, na estância, "cerca de cinco mil crianças de escolas de todo o país e até de Espanha".

A época oficial de funcionamento da estância de esqui da Torre é entre 01 de Dezembro e 30 de Abril, mas o director de vendas e marketing da Turistrela, que também dirige o complexo, assegura que "está pronta a abrir a qualquer momento".

A estância, dotada com 9 pistas, irá receber vários eventos ao longo do inverno, com o objectivo de atrair novos visitantes, disse.

Estão programadas provas de snowboard, de esqui e actividades inovadoras como o 'snow volei' (voleibol na neve), entre outras, "que serão uma forma de trazer as pessoas à Serra da Estrela", referiu.

Pelas contas do dirigente da Turistrela, na época passada, terão passado "à volta de dois milhões de pessoas" pela zona da Torre.

Jorge Patrão, presidente da entidade regional de Turismo da Serra da Estrela, disse hoje à Lusa esperar que apesar da crise, nos próximos meses "se reforce o turismo interno".

Recordou que em 2009 foram registadas "600 mil dormidas" nas várias unidades hoteleiras e de alojamento da região, admitindo que na época de 2010/2011 os números possam aumentar ou, pelo menos, manter-se.

"A região tem neve, alta montanha, ofertas de turismo cultural e de aventura para continuar a crescer nos próximos anos", concluiu.

JN