Brasil: Segunda volta das presidenciais
Dia da decisão com vantagem de Dilma

Três semanas depois da primeira volta, os brasileiros vão hoje novamente às urnas para escolherem o sucessor de Lula da Silva e os governadores estaduais. E podem fazer história. Com a candidata escolhida por Lula, Dilma Rousseff, do PT, favorita nas sondagens, o Brasil pode eleger hoje pela primeira vez uma mulher para a chefia do Estado.

Nas últimas sondagens divulgadas, Dilma surge com 12 a 14 pontos de vantagem sobre o candidato da oposição, José Serra, do Partido da Social Democracia Brasileira. Para os institutos de opinião pública, é uma diferença praticamente intransponível, levando-se em conta que, na segunda volta, para um candidato ser eleito basta ter apenas um voto a mais.

Cautelosos, Dilma e Serra deixaram de lado as agressões pessoais no último debate, realizado pela Globo, no qual responderam a perguntas feitas no estúdio por eleitores indecisos. Depois de ao longo da campanha se terem ofendido violentamente e de protagonizarem cenas de baixo nível em comícios e debates anteriores, onde preferiram a agressão mútua à apresentação de propostas, desta vez deram respostas concretas e não tocaram nas polémicas que agitaram toda a disputa, como a corrupção, as privatizações e o aborto.

Mesmo podendo fazer história, milhões de potenciais eleitores deixaram as grandes cidades, aproveitando o sol e o facto de, juntando o fim-de-semana ao feriado de Finados (no Brasil, dia 2 de Novembro) poderem ter quatro dias de descanso.

PALHAÇO TIRIRICA PODE NÃO SER EMPOSSADO

O deputado mais votado do Brasil, Francisco Everardo Oliveira Silva, ou, simplesmente, Palhaço Tiririca, pode não conseguir tomar posse. Acusado de ser analfabeto, foi intimado pela justiça eleitoral a fazer testes de leitura e escrita, mas os seus advogados afirmam que problemas médicos impedem esses testes. Os advogados do humorista, que obteve 1,35 milhões de votos, afirmam que ele sofre de um transtorno físico que o impede de segurar uma caneta. Só que jornalistas já viram o humorista dar autógrafos sem qualquer dificuldade motora aparente...

DESPEDIDA DE ÁFRICA EM MOÇAMBIQUE

O futuro do presidente Lula da Silva a partir do dia 1 de Janeiro, quando passar a faixa presidencial, é uma incógnita, talvez até para ele, que tem dado sinais contrários sobre o que vai fazer. Para já, o líder brasileiro despede-se de África com uma visita a Moçambique.

Lula nunca escondeu que o seu sonho é comandar uma grande organização internacional. Além disso, mesmo sublinhando que não interferirá no próximo governo, Lula sabe que Dilma precisará, e muito, do seu apoio, principalmente no primeiro ano. Nos bastidores, tem confidenciado que quer manter um papel decisivo na condução da política brasileira, pensando até, quem sabe, num regresso ao poder em 2014.

Na sua 12ª e derradeira visita a África desde que assumiu o poder, Lula desloca-se a Moçambique para inaugurar, no próximo dia 10, uma fábrica de anti-retrovirais.


Correio da Manhã