A ministra britânica do Interior, Theresa May, afirmou hoje, domingo, que os terroristas que enviaram pacotes com explosivos em aviões de carga nunca poderiam ter certezas sobre o local de deflagração porque as rotas são imprevisíveis.

Na sexta-feira foram interceptados no Reino Unido e no Dubai dois pacotes enviados como mercadoria aérea do Iémen para os Estados Unidos que continham explosivos no interior, e as autoridades emitiram de seguida um alerta internacional.

Os objectos tinham como destino sinagogas em Chicago, mas a ministra britânica sublinhou hoje que os terroristas nunca poderiam ter certezas quanto ao local exacto onde os pacotes rebentariam.

Em declarações à cadeia de televisão BBC, Theresa May insistiu que é impossível dizer se os pacotes explodiriam em território britânico ou norte-americano.

"Poderiam ter rebentado no avião, quando estava no ar. As rotas destes envios aéreos podem mudar no último momento, portanto é difícil para quem planeia uma detonação conhecer o lugar exacto onde estará a aeronave", sustentou.

A ministra acrescentou que vão ser realizadas conversações com o setor da aviação para tomar novas medidas, e refutou que neste momento se esteja a aligeirar a segurança nos aeroportos, como pediram algumas companhias aéreas.

"Por vezes pode ser frustrante para as pessoas passar pela segurança nos aeroportos, mas estamos numa batalha contra os terroristas. Creio que é importante olhar para estas medidas como protecção da segurança física dos passageiros", salientou.

Como medida de precaução, o Governo britânico decidiu suspender de imediato a entrada em território nacional de trânsito com qualquer carga não acompanhada proveniente do Iémen.

Uma das duas poderosas bombas enviadas para sinagogas em Chicago quase passou despercebida aos investigadores britânicos, mesmo após terem sido avisadas, segundo uma fonte das autoridades norte-americanas que quis manter o anonimato.

De acordo com a mesma fonte, os especialistas britânicos não encontraram inicialmente quaisquer explosivos quando revistaram as cargas no aeroporto.

No entanto, após as autoridades no Dubai terem encontrado uma bomba, os britânicos retomaram as buscas e encontraram o segundo explosivo, podendo indicar que se tratavam de engenhos sofisticados.

Neste momento não há qualquer indicação de existirem outros explosivos em circulação, garantiu hoje o conselheiro do Presidente Barack Obama na área do antiterrorismo, John Brennan.

O responsável disse à cadeia de televisão NBC que o Governo dos Estados Unidos está a tomar as medidas necessárias para detectar a existência de outros eventuais engenhos.

Os dois pacotes continham explosivos suficientes para fazer rebentar um avião.

JN