Um dos pacotes suspeitos interceptados hoje, segunda-feira, pela polícia grega nas mãos de dois alegados anarquistas, estava endereçado a Nicolas Sarkozy, indicaram as autoridades em comunicado.

Na sequência do pacote com explosivos que detonou hoje em Atenas na sede da Swiss Mail, uma empresa de correio expresso, e que feriu uma funcionária, a polícia deteve duas pessoas, suspeitos extremistas anarquistas.

De acordo com o comunicado, um dos pacotes teria como destinatário o presidente francês e outro a embaixada belga em Atenas.

A polícia informou ainda que um outro foi neutralizado perto do local onde explodiu o primeiro engenho e tinha como destino a embaixada holandesa em Atenas.

Na manhã de hoje, um pacote com explosivos detonou nas mãos de uma funcionária da Swiss Mail, depois de entregue por um jovem que as autoridades não conseguiram identificar na sede da empresa em Pangrati, no centro de Atenas. A polícia ainda não identificou quem era o destinatário do explosivo.

Um método semelhante foi utilizado para assassinar em Junho do ano passado o ministro responsável pelas forças de segurança, Mihalis Chryssohoidis.

Na altura, o pacote foi enviado para a sua residência oficial, mas foi levado para o Ministério por um dos seus colaboradores e não foi sujeito a qualquer controle, tendo explodido quando o político o abria, no seu gabinete.

As autoridades gregas têm sido confrontadas com persistentes ataques da parte de grupos extremistas, a maioria sem gravidade, reivindicados - ou imputados pela polícia - a grupos de extrema-direita ou anarquistas.

JN