O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão chamou, ontem, o embaixador da Rússia para lhe entregar uma nota de protesto, depois de o presidente Dmitri Mevedev ter efectuado uma visita de três horas às ilhas Kurilas do Sul.

O ministro dos Negócios Estrangeiros japonês Seiji Maehara, afirmou que a visita ofende os sentimentos do povo do Japão.

Segundo a agência Kiodo, o Governo japonês encara a possibilidade de chamar a Tóquio o seu embaixador em Moscovo.

As quatro ilhas, que os russos chamam as Kurilas do Sul, são para os japoneses os Territórios do Norte e ficaram sob o domínio de Moscovo no final da II Guerra Mundial.

Até hoje não foi assinado um tratado de paz entre Moscovo e Tóquio e a questão dos territórios continua a ser um pomo de discórdia. Medvedev esteve apenas três horas na ilha Kunachir e passeou-se num Nissan Patrol, japonês.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, afirmou, por seu lado, que a atitude do MNE japonês era inaceitável porque "é terra nossa, o presidente russo visita território russo".

Nas Kurilas do Sul vivem 15 mil pessoas, em condições bastante degradadas e praticamente a única actividade rentável é a pesca.

Grande parte do pescado é vendido ao Japão, pelo que os habitantes não ganham nada com as disputas entre Tóquio e Moscovo.

JN