O endividamento é um dos maiores problemas das maiores empresas portuguesas.


O estudo das 500 maiores e melhores empresas portuguesas, realizado pela revista "Exame", revela que, em 2009, o endividamento (rácio entre passivo e activo) subiu para 69,8%.

Mas o endividamento, destaca a revista, "não é o único indicador que ilustra a maior vulnerabilidade financeira destas empresas: a solvabilidade (quociente entre capital próprio e passivo) diminuiu para 43,1%". Já as vendas das 500 maiores e melhores empresas portuguesas caíram em 8,1% para 108,8 mil milhões de euros.

"Em termos de volume de vendas, a liderança pertence à distribuição de combustíveis, a quem cabem 12,8% dos 108,8 mil milhões. Este sector, a que pertence a Petrogal, a maior empresa portuguesa, registou, no entanto, um decréscimo de vendas em 24,22%", concluiu o estudo da "Exame".

O total das vendas das 500 empresas 64,7% do PIB português. Os lucros subiram em 11,9% para 5,4 mil milhões de euros e os sectores mais lucrativos foram a água, a electricidade e o gás com 1,2 mil milhões de euros (22,7% do total dos lucros). O total dos lucros representa 3,2% do PIB português.

As 500 maiores empresas empregam 8% população empregada, ou seja 401.115 de pessoas. Este valor representa um aumento de quase 30 mil pessoas face a 2008. Pingo Doce e Modelo Continente são os maiores empregadores.

Segundo o estudo da "Exame", a Otis Elevadores foi eleita a melhor empresa do ano.



Fonte: Jornal de Negócios