Um homem foi hoje, quarta-feira, executado na cidade chinesa de Foshan, na província de Guangdong, sul do país, depois de ser acusado de assassinar 11 pessoas, entre os quais três polícias, em cinco anos, revelou a agência Xinhua.

Cheng Ruilon, 37 anos, foi detido em 2005 e acusado de 13 crimes, mas dois dos homicídios de que estava acusado acabariam por não ser dados como provados, acrescentou a agência oficial chinesa.

A China é o país onde mais sentenças de morte são decretadas anualmente, com 1 067 execuções contabilizadas pela Amnistia Internacional em 2008, apesar de outras fontes indicarem mais de 8 000 execuções.

A maioria das pessoas executadas na China são declarados culpados de crimes de homicídio, roubo ou tráfico de droga apesar de outros crimes, como a corrupção também poderem ser condenados com a pena capital.

JN