Luís e Cristina, ex-casal de namorados que discute no Tribunal de Barcelos um prémio do Euromilhões no valor de 15 milhões, continua à espera da sentença do caso para saber como será a divisão do dinheiro.

processo está no Tribunal Cível de Barcelos desde 2007 e estava previsto que, após as férias judiciais, fosse determinada a sentença.

A resposta aos quesitos já foi dada no passado mês de Julho pelo que agora, apenas se aguarda a decisão final.
Ao que o JN conseguiu apurar junto de fonte judicial, estão ainda a correr prazos pelo que a sentença poderá demorar ainda "um ou dois meses" a ser dada.

Entretanto, o juiz titular do processo, Jorge Teixeira começou a exercer funções, em Setembro, no Tribunal da Relação de Guimarães, e apenas recebeu autorização do Conselho Superior da Magistratura para acumular funções há cerca de quinze dias.

Com esta autorização, ao que o JN conseguiu saber, o juiz poderá, além da função no Tribunal da Relação de Guimarães, também trabalhar nos processos que tinha em Barcelos, nomeadamente no caso do Euromilhões.

Os dois jovens eram namorados quando lhes foi atribuído o prémio do Euromilhões que durante estes anos têm vindo a discutir no tribunal. Ao longo de várias sessões Cristina tentou provar que foi ela quem ditou a chave sorteada e que pagou o registo. Mas, Luís alega que faziam o Euromilhões em conjunto.

As alegações finais do caso decorreram em Junho com o advogado de Luís, Vasco Cardoso a defender que, na impossibilidade de haver acordo para a divisão do prémio a meio, que se seja seguida a lei das sociedades.

Já o causídico da jovem, Mário Figueiredo, alegou que cada um jogou o seu Euromilhões defendendo que foi provado que a sua cliente ditou os números premiados.

JN