Petróleo em máximo de dois anos e gasolina com maior subida semanal em 12 meses nos mercados internacionais antecipam subida expressiva dos preços na próxima semana.


O comportamento dos mercados antecipa uma subida dos preços da gasolina e do gasóleo em Portugal na próxima semana.

Os preços praticados pelas gasolineiras têm como base a cotação média da gasolina e do gasóleo na semana anterior. Tendo em conta que, segundo dados da Bloomberg, os preços subiram esta semana 8,11% e 4,50%, respectivamente, antecipa-se um aumento dos preços dos combustíveis já a partir de segunda-feira.

Para a gasolina, esta é a maior subida semanal desde 25 de Dezembro do ano passado, altura em que subiu 8,79%.

Preços disparam mais de 10% em duas semanas

Nas duas últimas semanas, as subidas foram ainda mais expressivas. O gasóleo escalou 10,05% e a gasolina valorizou 10,69% nos mercados internacionais. Por isso, esta semana, a subida dos preços nas bombas vai ser significativa, disse ao Económico fonte do sector.

Actualmente, o preço de referência do litro de gasóleo em Portugal está em 1,209 euros, enquanto o preço da gasolina ronda os 1,424 euros por litro. No entanto, os revendedores optam por praticar valores mais caros, por levarem em conta o nível de concorrência, da oferta e da procura em cada mercado e também o nível de custos fixos de cada posto. Nas auto-estradas, por exemplo, os preços são normalmente mais elevados do que dentro das grandes cidades.

De acordo com o último relatório de Bruxelas, depois de impostos, o preço médio da gasolina 95 octanas praticado em Portugal é o nono mais caro em toda a União Europeia. Já o gasóleo ocupa a 13ª posição no 'ranking' dos 27 países do espaço comunitário.

Antes de impostos, o cenário altera-se. Os preços da gasolina e do gasóleo sobem para a sexta e quarta posição do 'ranking' europeu.

Petróleo em máximos de dois anos

Os preços do crude estão em alta há três sessões e atingiram hoje o valor mais elevado desde Outubro de 2008.

O preço do barril de 'brent', a referência para as importações portuguesas, subia 0,02% para 90,71 dólares em Londres, depois de ter tocado nos 91,04 dólares, o que correponde ao preço mais elevado desde Outubro de 2008.

A puxar pelos preços do 'ouro negro' está também a fraqueza do dólar, o que torna as matérias-primas mais atractivas para os investidores. O euro apreciava agora 1,06% para 1,334 dólares na terceira sessão seguida em alta.

Económico