A cidade de Roma está em estado de alerta, em plena véspera de Natal, depois dos atentados ocorridos na quinta-feira nas embaixadas da Suíça e do Chile, reivindicados por uma federação anarquista, próxima de grupos extremistas gregos.
As sedes do Governo e do parlamento italianos, ministérios e os serviços postais foram colocados sob forte vigilância.

"Os controles nos locais mais sensíveis foram reforçados. Os funcionários das embaixadas e dos consulados estão em alerta e foram instruídos para comunicar (às forças de segurança) se encontrarem pacotes suspeitos", disse o porta-voz da polícia italiana militarizada ("carabinieri"), em declarações à agência noticiosa francesa AFP.

Dois pacotes armadilhados explodiram na quinta-feira em Roma nas embaixadas da Suíça e do Chile, causando um ferido em cada representação diplomática.

Os dois feridos foram operados durante a noite de quinta-feira. O cidadão suíço, um homem de 53 anos, corre o risco de sofrer a amputação de uma mão, enquanto o funcionário da embaixada chilena perdeu dois dedos e sofreu ferimentos no peito e num olho.

Os dois atentados foram reivindicados pela Federação Anarquista Informal (FAI), numa mensagem, escrita em italiano, encontrada junto das roupas do homem que ficou ferido na explosão na embaixada do Chile.

Um outro pacote suspeito foi encontrado junto da embaixada da Ucrânia, mas foi um falso alerta.


infor/JN