A mãe de Isabelle Caro, a modelo francesa que chocou o mundo com a sua extrema magreza derivada da anorexia nervosa, suicidou-se, alegadamente por se sentir culpada pela morte da filha. O padrasto da modelo irá, também, apresentar uma queixa-crime, por negligência médica, contra o hospital onde Isabelle faleceu.

Segundo Christian Caro, padrasto de Isabelle, Marie, a mãe da modelo, sentia-se culpada por ter levado a filha, contra a sua vontade, ao hospital de Bichat, no qual acabaria por morrer aos 28 anos.

"Marie sentia-se culpada porque levou Isabelle para o hospital Bichat. Ela não queria ir a esse hospital", revelou Caro. Segundo o mesmo, depois de Oliverio Toscani, um fotógrafo que trabalhou com Isabelle quando se encontrava extremamente doente, a ter acusado de ser "arrogante" e interessada em "prosperar", o estado psicológico de Marie piorou.

No entanto, foi a publicação da autobiografia da filha que a levou ao desespero. No seu livro "A menina que não queria crescer", que dedicou ao padrasto, Isabelle confessa que queria permanecer eternamente criança para não perder o amor da sua mãe. "Tinha medo de crescer porque estava convencida de que a minha mãe não iria gostar mais de mim se eu deixasse de ser a sua menina pequena".

Christian Caro informa, ainda, que irá apresentar uma queixa por homicídio contra o hospital onde a enteada morreu, alegando a negligência médica como a causa da morte. O hospital descarta qualquer tipo de responsabilidades e afirma que Isabelle morreu de uma pneumonia grave devido à fragilidade da modelo.

Isabelle Caro, a ex-manequim e actriz de comédia francesa que se fez fotografar nua contra a anorexia, faleceu a 17 de Dezembro de 2010, vítima de pneumonia.

Jornal de Notícias