André Villas Boas projectou o jogo com o Paços de Ferreira e não fugiu a um assunto incontornável: a final da Liga Europa.

«Tudo pode acontecer, pois há ambição dos dois lados. O jogo de Dublin nada terá a ver com os do campeonato, em que vencemos no Dragão e em Braga», comentou o treinador, negando que o FC Porto seja favorito. «Isso não tem importância, senão vejamos: quem era o favorito entre Benfica e Braga? E no Twente-Zenit? E no Braga-Liverpool?», questiona Villas Boas.

Sobre o jogo de amanhã, o técnico espera mais um dia de festa e de comunhão com os adeptos, recusando a ideia de os jogadores pouparem energias para os compromissos sérios que se avizinham: «Se acontecer algum imprevisto não será por falta de concentração nossa, mas por mérito do Paços, uma equipa que está a fazer uma época excelente, após uma mudança de liderança e organização. Para um clube da sua dimensão, participar na final da Taça da Liga é um acontecimento memorável. Contamos com um adversário difícil», alerta o treinador.

A Bola