Pesca aos ciprinidios

Regras para oficialização
- O exemplar tem que ser capturado em campeonato nacional ou regional, individual ou colectivo;
- O exemplar tem que ter sido considerado válido (por exemplo não pode ter sido desclassificado por
prender noutra linha);
- O exemplar depois de pesado em conjunto com os restantes exemplares, deverá ser retido dentro da
manga, em boas condições de sobrevivência;
- Depois da pesagem do sector ter terminado, deverá ser chamado o presidente do júri, que em conjunto
com o pescador que apresenta o peixe e um dos pescadores situados mais perto deste, sem afinidade
familiar ou clubistica, procederão à pesagem do exemplar;
- O peso do exemplar bem como a graduação da balança, deverão ser anotados individualmente na folha
de pesagem com a devida assinatura dos três elementos;
- Deverão se possível ser tiradas duas fotografias, uma do exemplar numa superfície plana e com algo de
tamanho conhecido junto ao mesmo (por exemplo uma régua, uma caneta, etc…) e outra foto com o
pescador segurando o exemplar, devendo este ser seguro na horizontal pelas duas mãos do pescador,
devendo os cotovelos deste estarem junto ao tronco;
- O exemplar deverá ser obrigatoriamente devolvido à água em boas condições de sobrevivência;
- O presidente do júri deverá relatar a ocorrência no relatório da prova;
- De modo a evitar duplicações e/ou falsos recordes por o mesmo ser batido em duas provas diferentes no
mesmo dia, o Vice-Presidente da área de Rio da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, deverá ser
informado telefonicamente assim que possível;
- Tratando-se de um campeonato regional, deverá ser enviada uma cópia da ficha de pesagem, do relatório
do júri e das fotografias (caso existam), para a sede da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, no
prazo máximo de cinco dias úteis, findo o qual não será considerado válido.
Como peso mínimo para a obtenção de recordes ficam estabelecidos os seguintes valores:
Ablete – 80 gramas
Barbo – 1500 gramas
Boga – 300 gramas
Carpa – 2000 gramas
Enguia – 400 gramas
Escalo – 200 gramas
Pimpão – 600 gramas
Peixe gato – 250 gramas
Perca Sol – 60 gramas
Tainha – 1300 gramas
Tenca - 400 gramas
Nota 1: Para exemplares cujo peso recorde seja inferior a 200 gramas, o mesmo só será considerado se a
balança tiver uma graduação igual ou inferior a 10 gramas. Para os restantes exemplares a balança terá que
ter uma graduação igual ou inferior a 20 gramas.
Nota 2: Para evitar confusões e falta de conhecimentos suficientes para uma correcta avaliação da sub
espécie a que cada exemplar pertence, os recordes considerarão apenas a espécie (por exemplo um
exemplar de carpa, quer pertença à sub espécie, real, espelho, couro, etc…, apenas será considerada como
carpa)




Pesca ao achigã de embarcação

Regras para oficialização
- O exemplar tem que ser capturado em campeonato nacional ou regional, individual ou colectivo;
- O exemplar tem que ter sido considerado válido;
- O exemplar depois de pesado em conjunto com os restantes exemplares, deverá ser pesado
individualmente;
- O peso do exemplar bem como a graduação da balança e o nome do pescador da dupla que efectuou a
captura, deverão ser anotados individualmente na folha de pesagem com a devida assinatura dos três
elementos do júri e a do pescador;
- Deverão se possível ser tiradas duas fotografias, uma do exemplar numa superfície plana e com algo de
tamanho conhecido junto ao mesmo (por exemplo uma régua,
uma caneta, etc) e outra foto com o pescador segurando o exemplar, devendo este ser seguro na horizontal
pelas duas mãos do pescador, devendo os cotovelos deste estarem junto ao tronco;
- O exemplar deverá ser obrigatoriamente devolvido à água em boas condições de sobrevivência;
- O presidente do júri deverá relatar a ocorrência no relatório da prova;
- De modo a evitar duplicações e/ou falsos recordes por o mesmo ser batido em duas provas diferentes no
mesmo dia, o Vice-Presidente da área de Rio da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, deverá ser
informado telefonicamente assim que possível;
- Tratando-se de um campeonato regional, deverá ser enviada uma cópia da ficha de pesagem, do relatório
do júri e das fotografias (caso existam), para a sede da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, no
prazo máximo de cinco dias úteis, findo o qual não será considerado válido.
Como peso mínimo para a obtenção de recorde ficam estabelecidas 2000 gramas
Nota: O recorde só será considerado se a balança tiver uma graduação igual ou inferior a 20 gramas.




Pesca ao achigã de margem

Regras para oficialização
- O exemplar tem que ser capturado em campeonato nacional ou regional, individual ou colectivo;
- O exemplar tem que ter sido considerado válido;
- Para o recorde ser considerado válido a medição do exemplar tem que ser presenciada pelo pescador,
pelo seu controlador e por mais um outro pescador e seu controlador ou em alternativa a estes dois
últimos, pelo presidente do júri.
- A medida do exemplar deverá ser anotada na folha de pesagem com a devida assinatura dos elementos
que procederam à medição e a do pescador;
- Deverão se possível ser tiradas duas fotografias, uma do exemplar numa superfície plana e com a régua
junto ao mesmo e outra foto com o pescador segurando o exemplar, devendo este ser seguro na horizontal
pelas duas mãos do pescador, devendo os cotovelos deste estarem junto ao tronco;
- O exemplar deverá ser obrigatoriamente devolvido à água em boas condições de sobrevivência;
- O presidente do júri deverá relatar a ocorrência no relatório da prova;
- De modo a evitar duplicações e/ou falsos recordes por o mesmo ser batido em duas provas diferentes no
mesmo dia, o Vice Presidente da área de Rio da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, deverá ser
informado telefonicamente assim que possível;
- Tratando-se de um campeonato regional, deverá ser enviada uma cópia da ficha de pesagem, do relatório
do júri e das fotografias (caso existam), para a sede da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, no
prazo máximo de cinco dias úteis, findo o qual não será considerado válido.
Como medida mínima para a obtenção de recorde ficam estabelecidos 35 centímetros



Pesca à carpa

Regras para oficialização
- O exemplar tem que ser capturado em campeonato nacional ou regional, individual ou colectivo;
- O exemplar tem que ter sido considerado válido;
- O exemplar deverá ser pesado pelo responsável pela pesagem e por um pescador de cada uma das duas
duplas que se encontrem mais perto do pescador que apresenta o exemplar sem afinidade familiar ou
clubistica ou em alternativa a estes dois últimos, pelo presidente do júri;
- O peso do exemplar bem como a graduação da balança e o nome do pescador da dupla que efectuou a
captura, deverão ser anotados individualmente na folha de pesagem com a devida assinatura dos
elementos que procederam à pesagem e a do pescador;
- Deverão se possível ser tiradas duas fotografias, uma do exemplar numa superfície plana e com algo de
tamanho conhecido junto ao mesmo (por exemplo uma régua, uma caneta, etc…) e outra foto com o
pescador segurando o exemplar, devendo este ser seguro na horizontal pelas duas mãos do pescador,
devendo os cotovelos deste estarem junto ao tronco;
- O exemplar deverá ser obrigatoriamente devolvido à água em boas condições de sobrevivência;
- O presidente do júri deverá relatar a ocorrência no relatório da prova;
- De modo a evitar duplicações e/ou falsos recordes por o mesmo ser batido em duas provas diferentes no
mesmo dia, o Vice Presidente da área de Rio da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, deverá ser
informado telefonicamente assim que possível;
- Tratando-se de um campeonato regional, deverá ser enviada uma cópia da ficha de pesagem, do relatório
do júri e das fotografias (caso existam), para a sede da Federação Portuguesa de Pesca Desportiva, no
prazo máximo de cinco dias úteis, findo o qual não será considerado válido.
Como peso mínimo para a obtenção de recorde ficam estabelecidas 5000 gramas
Nota: O recorde só será considerado se a balança tiver uma graduação igual ou inferior a 20 gramas.