O presidente Barack Obama anunciou no seu discurso à nação o "início" do fim da guerra no Afeganistão. Falando da Casa Branca, em Washington, Obama confirmou que os primeiros 10 mil soldados deixarão o país asiático ao longo deste ano e os 23 mil restantes antes de Setembro do próximo ano, totalizando 33 mil.

"Este é o começo, não o fim, do esforço para encerrar a guerra no Afeganistão", afirmou.

O anúncio encerra semanas de especulações sobre o futuro da presença militar dos EUA no Afeganistão, onde há 100 mil militares americanos.

Comandantes militares vêm alertando Obama a não fazer uma retirada exagerada, sob pena de reverter os avanços dos últimos meses contra a insurgência dos talibãs.

Por outro lado, o governo precisa de reduzir seus gastos com a guerra e estancar a perda de vidas norte-americanas, sob pena de ser castigado pelo eleitorado nas eleições de 2012.

Obama disse também que os documentos recuperados na operação que matou Osama bin Laden mostraram que a al-Qaeda "sofre enormemente" e é "incapaz de substituir de modo eficaz" os seus altos dirigentes eliminados.

Jornal de Notícias