Os rebeldes líbios da região montanhosa de Djebel Nefussa consideram que, neste momento, é impossível uma solução política com o regime de Muammar Kadafi.

"Neste momento, é impossível encontrar uma solução política: Kadafi quer manter-se no lugar e os rebeldes não querem", disse o coronel Juma Brahim, comandante do centro militar operacional para o oeste da Líbia, com base em Zenten.

De acordo com Juma Brahim, Kadafi está a tentar ganhar tempo porque está encurralado pela ofensiva que os rebeldes lançaram na semana passada com o objectivo de cercar Tripoli.

"No último momento, Kadafi procura uma solução pacífica porque está enfraquecido. Todos os soldados e os equipamentos (do exército regular) passam para o nosso lado, um após o outro. Avançamos lentamente mas não paramos nem recusamos", disse, à Agência France Presse.

Depois de mais de quatro meses de guerra, França confirmou manter contactos com o regime de Kadafi para uma eventual solução política, mas assegurou não se tratar de "verdadeiras negociações".

Para o coronel Juma Brahim, a posição de França é "difícil de compreender" do ponto de vista militar. "De um lado, ajuda-nos, do outro fala com o regime de Kadafi. Politicamente é possível mas militarmente não", disse. Os rebeldes da zona ocidental "não têm contactos" com o regime.




In:JN