A Linha de Cascais deixará de contar com a circulação de 17 comboios até ao final de Agosto por "indisponibilidade de material", uma medida anunciada esta quinta-feira pela CP e que deixou os utentes daquela linha "muito indignados".

O representante da Comissão de Utentes da Linha de Cascais, Filipe Ferreira, considera a medida é "mais uma má política por parte da CP e do Governo e prova do constante desinvestimento que está a ser feito na Linha de Cascais".

"Repudiamos, de modo veemente, as más políticas que estão a ser implementadas pela CP a mando do Governo que só se preocupa em cortar e cortar sem olhar a meios", sustentou o representante, sublinhando que a decisão em nada vai resolver os problemas e que "os prejudicados são sempre os mesmos, os utentes".

Um comunicado da CP, divulgado esta quinta-feira, dá conta da necessidade de supressão de comboios na Linha de Cascais por "indisponibilidade de material circulante que tem necessidade de ser objecto de acções de reparação e manutenção".

Contudo, justifica, "face à actual conjuntura, a CP não pode equacionar a aquisição de novo material circulante para reequipar a sua frota de comboios".

Assim, a empresa decidiu imobilizar 17 circulações na Linha de Cascais, entre segunda-feira e 31 de Agosto, no sentido de "garantir a estabilidade de oferta e evitar supressões pontuais" até que a situação esteja resolvida.



In:JN