O ex-ministro israelita Binyamin Ben Eliezer afirmou esta quarta-feira que propôs ao ex-presidente egípcio Hosni Mubarak ser internado em Israel para receber tratamento médico antes da revolução que terminou com a renúncia do ex-chefe de Estado, num encontro com o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.
«Bibi (o primeiro-ministro Netanyahu) e eu encontramos Mubarak em Sharm el-Sheikh, ele estava doente e eu disse que a distância era curta entre Sharm el-Sheikh e Eilat (estação balnear israelita), que deveria vir para receber tratamento e recuperar a saúde», afirmou Ben Eliezer à rádio militar.

«Estou seguro de que o governo (israelita) o teria aceitado, mas Mubarak, que é um grande patriota egípcio, recusou», acrescentou Ben Eliezer, trabalhista que foi ministro do Comércio de Netanyahu até Janeiro.

Hosni Mubarak era considerado em Israel uma garantia do acordo de paz assinado em 1979 entre o Estado hebraico e o Egipto. Em troca da retirada do Sinai conquistado do Egipto durante a Guerra dos Seis Dias (Junho de 1967), Israel conseguiu quebrar o isolamento diplomático na região.


dd.