Os polícias estão há mais de um ano à espera que a PSP lhes devolva a totalidade do dinheiro que descontaram para o extinto Fundo de Fardamento, verbas que os sindicatos estimam em «milhares de euros».

Com a entrada em vigor do novo estatuto profissional da PSP, em Janeiro de 2010, o Fundo de Fardamento foi extinto e substituído por um novo, mas os agentes ainda não receberam até agora a totalidade dos montantes em falta, disse à agência Lusa o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), Paulo Rodrigues.

Cada polícia recebia cinco euros mensais que eram depositados no Fundo de Fardamento, em que cada agente tinha uma conta. Quando adquiria peças de fardamento era debitado o valor da compra nessa conta. Se o valor fosse insuficiente, o polícia ficava a dever.

Segundo Paulo Rodrigues, os polícias que deviam dinheiro ao Fundo de Fardamento regularizaram as dívidas em seis meses. Mas aqueles que tinham dinheiro na conta só receberam 200 euros, pagos até 31 de Dezembro de 2010.

Como exemplo, citou um caso de um agente que tinha no Fundo 280 euros e foram-lhe pagos 200 euros, ficando ainda na conta 80 euros.

No entanto, «há polícias que tinham na conta 600 e 800 euros», disse, sublinhando que esse «dinheiro é dos polícias», apesar do Fundo ter sido extinto.

O sindicalista explicou que os agentes que fazem patrulhamento são aqueles que mais gastam dinheiro no fardamento, enquanto os polícias da investigação criminal e da Unidade Especial de Polícia utilizavam pouco a verba que tinham no Fundo, uma vez que usam roupa à civil e equipamento especial, respectivamente.

O presidente da ASPP referiu que no fundo ainda estão «milhares de euros».

Paulo Rodrigues adiantou que é «preciso esclarecer» e «resolver» a situação do dinheiro que pertence aos polícias e não à Polícia de Segurança Pública (PSP).

A agência Lusa contactou a Direcção Nacional da PSP, mas até ao momento não obteve qualquer resposta.

Desde o ano passado que os polícias recebem no vencimento um apoio de cerca de 16 euros para o fardamento.


Lusa/SOL