Risco de explosão era elevadíssimo
Mulher sobrevive após ficar com granada alojada na cara

Karla Flores, de 32 anos, viu-se a sua vida mudar radicalmente, quando foi atingida por uma granada, que ficou alojada na cara. Apesar do perigo, a mulher foi operada e conseguiu sobreviver.

Tudo começou num dia normal em que a mulher fazia a sua rotina diária: foi vender peixe na rua de Caliacán, no estado de Sinaloa, México, de repente ouviu um forte estrondo e sentiu algo bater-lhe na cara, passou a mão viu sangue e desmaiou.

Ao acordar já se encontrava no hospital. Karla achou que tinha sido atingida por uma pedra ou algo do género, mas não. Os médicos ao examinarem a mulher descobriram que havia um tipo de projéctil alojado no rosto, mas não sabiam o que era concretamente.

Após ter feito um exame e um raio-x descobriu-se que o estranho objecto alojado no maxilar de Karla era uma granada. O pânico ficou imediatamente instalado no hospital. A questão que se colocou foi quem operaria a mulher, pois o risco da granada explodir era enorme.

Karla foi isolada, e quatro corajosos voluntários decidiram operá-la (dois anestesistas, uma enfermeira e um médico em conjunto com uma equipa de especialistas em explosivos). A mulher foi operada num campo aberto, por evitar que, se algo corresse mal, o hospital não explodaria. A equipa conseguiu remover o dispositivo.

A paciente perdeu metade dos seus dentes na cirurgia, e a sua face ficou deformada por uma imensa cicatriz, mas conseguiu sobreviveu.


C.da Manha