Durante entrevista ao canal francês TF1
Sarkozy reage mal a pergunta sobre milhões de Kadhafi


O presidente francês Nicolas Sarkozy reagiu mal a uma pergunta da jornalista Laurence Ferrari, que o entrevistou na noite de segunda-feira para o canal TF1, sobre notícias de que a campanha que o levou ao Palácio do Eliseu em 2007 foi financiada pelo ditador Muammar Kadhafi, morto pelos rebeldes líbios no ano passado. O político de centro-direita, que procura agora a reeleição, disse que a interlocutora estava a portar-se como "uma porta-voz do filho de Kadhafi".





"Se ele me financiou, então não demonstrei muita gratidão", disse Sarkozy, referindo-se ao apoio que a França prestou aos rebeldes que derrubaram o regime de Tripoli e acabaram por executar Kadhafi em 2011.

Segundo documentos revelados pelo site Mediapart, Kadhafi terá contribuído com 50 milhões de euros para a campanha eleitoral de 2007 em que o então ministro do Interior Nicolas Sarkozy sucedeu a Jacques Chirac, batendo a socialista Ségolène Royal na segunda volta.

Segundo esse site, os milhões do ditador líbio terão sido depositados em contas bancárias secretas na Suíça e no Panamá, uma das quais terá sido aberta em nome da irmã de um político do partido de Sarkozy.

Estas acusações chegam numa altura em que Sarkozy consegue pela primeira vez suplantar o rival socialista, François Hollande, nas sondagens, embora se mantenha em desvantagem na segunda volta.


C.da Manha