Igreja e Governo chegam a acordo para eliminação dos feriados a partir de 2013

A Igreja chegou a acordo com o Governo para a eliminação dos feriados do Corpo de Deus e de Todos os Santos. A Santa Sé revelou que a decisão entrará em vigor em 2013 e vigora durante os próximos cinco anos, até 2018, ano até ao qual se estendem as repercussões das medidas da 'troika'.
A mesma informação foi confirmada ao SOL por fonte do Governo.
A decisão foi anunciada pela agência Ecclesia, que citou um comunicado da Nunciatura Apostólica em Portugal, o organismo que actua como a representação oficial e diplomática do Papa Bento XVI no nosso país.
O feriado do Corpo de Deus, tradicionalmente celebrado 60 dias após o dia de Páscoa, a uma quinta-feira, passará a ser festejado no domingo seguinte.
Quanto ao dia de Todos os Santos, o feriado não passará para outro dia, mantendo-se a 1 de Novembro mas sem a condição de ser um feriado civil.
Com este acordo, a Santa Sé acompanha a decisão do Governo, que tinha já eliminado dois feriados de cariz histórico – o 5 de Outubro, correspondente à implantação da República em 1910, e o 1 de Dezembro, que celebra a restauração da independência a 1640.
A eliminação será realizada a partir de 2013 e até 2018, ano até ao qual se estende a ‘ressaca’ das medidas da ‘troika’, como a devolução dos subsídios de férias e Natal.
A Ecclesia lembrou ainda as declarações que Passos Coelho, primeiro-ministro, tinha proferido no início de Abril, quando garantiu que a eliminação de feriados seria proporcional no campo religioso e civil.

SOL