Professor de montanhismo acusado de violação de menores, incluindo a filha

O Ministério Público (MP) constituiu arguido um professor de escalada e montanhismo por violação de menores, incluindo a própria filha, indica hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).
O professor, fundador do Clube de Montanhismo de Monsanto e com 50 anos, é acusado por 15 crimes de violação na forma agravada devido à idade das vítimas e à relação de parentesco com uma delas.
A PGDL adianta que o arguido, que se encontra em prisão preventiva, levava as alunas à noite para supostos exercícios de escalada e, com uso de violência, abusava-as sexualmente, fazendo o mesmo à filha.
De acordo com a PGDL, a filha foi abusada pelo pai entre os 10 e os 15 anos de idade, tendo sido obrigada a práticas sexuais que ocorriam essencialmente quando participava em provas de escalada nacionais e internacionais, nomeadamente em campeonatos do mundo e da Europa.

Lusa/SOL