Plano de ingresso na corporação até 2016
PSP propõe 500 novos agentes por ano


A direcção nacional da PSP propõe que até 2016 sejam incorporados 500 efectivos por ano e que 300 saiam para a pré-aposentação, indicam as "Grandes Opções Estratégicas 2013-2016" divulgadas esta quinta-feira.

O documento, assinado pelo director nacional da PSP, superintendente Paulo Valente Gomes, refere que a incorporação regular anual de 500 efectivos corresponde ao contingente ideal de formandos, tendo em conta as capacidades pedagógicas, administrativas e logísticas da Escola Prática de Polícia, além de se aumentar o valor médio de saídas para a pré-aposentação para 300 por ano.

Segundo a PSP, há um elevado número de polícias (1.715) com condições para passar à pré-aposentação no final de 2013.

A PSP salienta que está cientificamente demonstrado que os elementos policiais, sensivelmente a partir dos 50 anos, começam a entrar numa "curva descendente de produtividade fruto do elevado desgaste da profissão, começando a acusar as mazelas acumuladas ao longo dos anos sob a forma de problemas mais ou menos graves do ponto de vista físico e mental que os arrastam para elevadas taxas de absentismo e incontáveis gastos com tratamento de saúde".

No documento, a PSP sublinha que a admissão de 800 novos polícias em 2013, tal como foi assumida para garantir a paridade com a GNR no conjunto dos dois anos (2012-2013), e a entrada para a pré-reforma de 300 elementos traduziria uma poupança global mínima de cerca de 247 milhões de euros do seu ciclo profissional, sendo que até 2014 a poupança ascenderia a cerca de 15 milhões de euros.


C.da Manha