Uma menina muçulmana de 18 meses chamada Ryanna e os seus pais foram retirados de um avião no aeroporto de Fort Lauderdale, na Florida (EUA), porque o nome da menina estava numa lista de pessoas proibidas de voar.

Depois de saírem do avião da Jet Blue, a menina e os dois adultos, nascidos e criados em New Jersey mas cujas famílias vieram do Médio Oriente, ficaram 30 minutos à espera no terminal do aeroporto, até que lhes foi permitido reentrar no avião.


No entanto, o casal recusou-se a fazê-lo, alegando que tinham sido tratados "como se estivessem no circo" devido ao lenço que cobria o cabelo da mãe de Ryanna.


O incidente está a ser investigado pela companhia áerea e pela autoridade federal de segurança aeroportuária.



In' Correio da Manhã