Portugueses forçados a pagar 21 MME do descalabro do BPN e das PPP

O antigo secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, afirmou hoje, em Bragança, que os portugueses têm uma conta para pagar de 21 mil milhões de euros relativa apenas aos processos do BPN e das Parcerias Público Privadas.
«Nós estamos forçados a pagar até 2020, só dos custos da Parcerias Público Privadas (PPP) e do descalabro do BPN, 21 mil milhões de euros. Já está na conta para pagarmos», declarou.
Carvalho da Silva falava a uma plateia de estudantes do Instituto Politécnico de Bragança, numa conferência sobre trabalho e desigualdades perante a crise, onde defendeu ser necessário «romper com isto» e questionou os sacrifícios que estão a ser pedidos aos portugueses.
O dirigente sindical considerou que a riqueza do país «não pode continuar assim» e que os problemas não se resolvem «por imposições autoritárias: têm de ser discutidos na sociedade».
«Temos de contrapor à crise uma crítica acutilante que abra caminhos alternativos, a crise não pode acabar por ser a submissão às inevitabilidades e a poderes desequilibrados que, em regra, vêm associados ou são construídos com o próprio conceito de crise», declarou.
Carvalho da Silva defendeu ainda a necessidade de «um sistema financeiro, bancário, que apoie o desenvolvimento privado e público e das actividades que o país possa desenvolver».
«Como é que se pode dizer às pessoas que sejam empreendedores, criem emprego, quando as pessoas não têm no sistema financeiro disponibilidade para apoiarem as iniciativas?
Isto é uma vigarice, anda-se a enganar as pessoas», afirmou.

Lusa/SOL