Lucro da Cofina cai 93,5% no 1.º trimestre

A Cofina fechou o primeiro trimestre deste ano com um lucro de 312 mil euros, uma queda de 93,5 por cento em relação aos 4,8 milhões de euros registados no mesmo período de 2011.
Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo de media adianta que as receitas operacionais totais atingiram cerca de 26,4 milhões de euros, uma queda de cerca de 11 por cento face aos primeiros três meses do ano passado.
“Este decréscimo foi motivado pela descida das receitas de publicidade (18 por cento) e das receitas de circulação (sete por cento), tendo as receitas de marketing alternativo registado um ligeiro acréscimo (quatro por cento)”, lê-se no comunicado.
Nos primeiros três meses deste ano, o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu cerca de 3,2 milhões de euros, menos 24,8 por cento do que no período homólogo.
No que respeita ao segmento de jornais, as receitas totais totalizaram cerca de 20 milhões de euros, menos 9,5 por cento em comparação com os primeiros três meses de 2011.
As receitas provenientes de publicidade registaram uma quebra superior a 18 por cento, situando-se em 7,5 milhões euros, ao passo que as receitas de circulação caíram cerca de cinco por cento, situando-se em cerca de 11,3 milhões de euros.
O EBITDA alcançado neste segmento totalizou cerca de 3,6 milhões de euros, menos 23,9 por cento do que nos primeiros três meses de 2011.
Já no segmento de revistas, as receitas totais atingiram cerca de 5,9 milhões de euros, uma queda de cerca de 14 por cento, enquanto as receitas de circulação caíram 13 por cento, atingindo cerca de 3,5 milhões de euros.
A Cofina detém os jornais Correio da Manhã, Destak, Metro, Record e Jornal de Negócios e as revistas Sábado, TV Guia, Flash, Máxima, Vogue, GQ, Automotor e Semana Informática.

Lusa / SOL