Chineses pagam tranche de 2,1 mil milhões e concluem compra da EDP

A China Three Gorges concluiu hoje a operação de compra de 21,35 por cento da EDP, pagando ao Estado a última tranche de 2,1 mil milhões de euros e tornando-se formalmente accionista da empresa portuguesa.
Em comunicado enviado pela EDP à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), é referido que a China Three Gorges International comunicou «a constituição de uma participação qualificada através da aquisição mediante operação realizada fora de mercado regulamentado, de 780.633.782 acções representativas de 21,35 por cento do capital social e dos direitos de voto da EDP, que constituem o objecto da venda directa de referência relativa à 8.ª fase do processo de reprivatização da EDP».
Com esta operação, os chineses da Three Gorges concluem a transacção prevista no acordo de venda directa de referência celebrado com a Parpública em 30 de Dezembro do ano passado.
Com esta aquisição, no valor total de 2,7 mil milhões de euros, «ocorreu uma mudança no título de imputação dos direitos de voto», segundo o comunicado, e a partir de hoje, os direitos de voto passam a ser directamente imputáveis à China Three Gorges.
Consequentemente, a Parpública reduziu a sua participação qualificada na EDP dos actuais 25,49 por cento do respectivo capital social e dos direitos de voto para 4,14 por cento do capital social e dos direitos de voto na EDP, mantendo a titularidade de um total de 151.517.000 acções, «as quais consistem em acções de categoria B».
A Lusa noticiou na segunda-feira que o processo de privatização da EDP ficaria fechado hoje, dia em que a China Three Gorges (CTG) completaria o pagamento ao Estado português de 2,7 mil milhões de euros.
O presidente da CTG, Cao Guangjing, disse à Lusa ainda em Pequim estar "tudo acertado" e que dia 11 de Maio fecharia o acordo.
Na altura, Cao Guangjing considerou o acordo «muito importante» para as duas empresas.
«Não somos apenas accionistas, somos parceiros, que apoiamos plenamente o desenvolvimento da EDP e, ao mesmo tempo, vamos trabalhar juntos para desenvolver novos negócios», afirmou.

Lusa/SOL