Finanças avaliam imóveis através do Google e erram no IMI

Muitas avaliações de imóveis realizadas pelas Finanças para calcular o valor do IMI são baseadas em fotografias do Google e há já quem esconda piscinas tapando-as com lona verde, avança o jornal i.
Os avaliadores das Finanças estão a cometer erros graves e há casos em que os proprietários apresentam reclamações e o imposto baixa valores tão elevados como 50 mil euros.
O jornal i dá o exemplo de um complexo habitacional com 28 casas em que a revisão em baixa resultou em menos 1 milhão de euros que iria ser cobrado indevidamente.
«O IMI castiga os proprietários de piscinas, garagens, campos de ténis ou até de imóveis com escadas rolantes ou elevadores.
As Finanças consideram luxo um prédio com menos de quatro andares ter elevador», explica Frias Marques, presidente da Associação Nacional de Proprietários.
Um dos casos relatados pelo jornal aconteceu na zona de Carnaxide.
Os proprietários teriam de pagar a partir de 2013 quase o triplo do IMI.
Mas um morador encontrou falhas na avaliação e contestou o valor numa repartição de Finanças. Descobriu que ninguém tinha ido ao local e que a avaliação tinha sido feita com base em fotografias do Google.
Ninguém confirmou se era de facto um condomínio fechado (e não é) ou a quem pertencia a piscina colectiva, escreve o i.
A ANP recebe cada vez mais casos semelhantes.
«O IMI castiga os proprietários de piscinas, garagens, campos de ténis ou até de imóveis com escadas rolantes ou elevadores.
As Finanças consideram luxo um prédio com menos de quatro andares ter elevador», explica Frias Marques.

SOL