Alegado autor de disparos em desentendimento no trânsito encontrado morto na cadeia

O alegado autor dos disparos que provocaram dois feridos graves num desentendimento de trânsito, em Bragança, foi hoje encontrado morto na cela onde estava em prisão preventiva, disse à agência Lusa fonte dos Serviços Prisionais.
O corpo foi descoberto a meio da tarde no Estabelecimento Prisional de Bragança e as autoridades indicam como causa da morte enforcamento.
Segundo a fonte, «não havia qualquer suspeita ou sinal» que fizesse prever este desfecho.
O arguido, de 66 anos, encontrava-se em prisão preventiva há menos de dois dias, depois de o Tribunal de Bragança lhe ter decretado a mais grave medida de coação, na segunda-feira.
O indivíduo estava indiciado pelos crimes de homicídio qualificado na forma tentada e de posse de arma proibida, tendo sido detido poucas horas depois dos incidentes, registados na noite de sábado, no bairro da Coxa, em Bragança.
De acordo com um comunicado emitido, naquela ocasião, pela directoria Norte da Polícia Judiciária (PJ), o arguido ter-se-á desentendido com outro condutor «no âmbito da circulação estradal» e disparado a curta distância vários tiros de carabina que vieram a atingir gravemente a vítima.
Após ter sido baleado, o condutor, de 39 anos, conseguiu, ainda segundo o relato da PJ, entrar no seu veículo, «onde voltou a ser alvo de mais disparos que provocaram o despiste e embate num contentor», o qual «foi projectado e atingiu uma mulher» que circulava, com outras pessoas, no passeio da rua onde ocorreram os factos.
A mulher foi assistida na unidade hospitalar de Bragança e depois transferida de helicóptero para o Centro Hospitalar do Porto.
Segundo as autoridades, o condutor atingido «tinha, pelo menos, três perfurações de bala na zona abdominal e torácica» e foi submetido a uma intervenção cirúrgica na noite do ataque, no hospital de Bragança.
O suspeito da autoria dos disparos pôs-se em fuga, mas acabou por ser interceptado e detido, na mesma noite pela PSP, ajudada por uma testemunha que registou a matrícula do veículo em que se deslocava.
As autoridades apreenderam a arma dos disparos, uma carabina com silenciador e com uma bolsa acoplada para recolha de invólucros deflagrados, bem como uma caçadeira e centenas de munições.
O indivíduo era já conhecido das autoridades locais por outros episódios de violência.

Lusa/SOL