Foto © USC Viterbi School of Engineering




Uma equipa de engenheiros norte-americanos anunciou, recentemente, a construção de mãos robóticas com tato, capazes de sentir e diferenciar texturas. De acordo com os seus criadores, esta tecnologia poderá ser útil no futuro fabrico de próteses equipadas com o sentido do toque
.

A BBC adianta que estas mãos inovadoras estão equipadas com sensores de toque, os chamados BioTac, que usam algoritmos inteligentes. Assim, são capazes de selecionar, monitorar e interpretar o que detetam com os seus dedos mecânicos.

Os dedos robóticos têm o mesmo tamanho de um dedo humano e possuem "impressões digitais" na superfície, o que lhes dá a capacidade de sentir os materiais tocados por meio de vibrações e percecionar a sua textura.

Quando um destes dedos robóticos, que se encontram cobertos com uma espécie de "pele" flexível cheia de fluido, passa sobre determinada textura, esta "pele" vibra de diferentes maneiras.


A vibração é captada por um transmissor de som localizado dentro dos dededos e, assim, a mão percebe o tipo de textura em questão, bem como a sua forma e propriedades térmicas. Segundo os seus inventores, Gerald Loeb e Jeremy Fishel, a mão robótica é pode detetar 117 materiais comuns com uma precisão de 95%, superior à dos dedos humanos.

A investigação foi desenvolvida na Escola de Engenharia Viterbi, filiada à Universidade do Sul da Califórnia, nos EUA, e divulgada na publicação Frontiers of Neurorobotics.

O projeto foi financiado pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos com o objetivo de conseguir a criação de melhores próteses de mão para amputados.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

Bnoticias